End: Praça Presidente Vargas, s/n, Centro - Santa Cruz, RN
Tel: (84) 3291-2112 - paroquiadesantaritarn@gmail.com

Horários: Terça à Sexta: 18h | Sábado: 10h | Domingo: 7h e 10h Transmitidas pela TV Santa Rita e Rádio Santa Cruz AM

Notícias da paróquia › 28/03/2020

Há 185 anos, Santa Cruz de Santa Rita

A Paróquia de Santa Rita de Cássia comemora seu aniversário de 185 anos, quando foi criada em 27 de março de 1835, quando o Conselho do Governo Provincial, sob a presidência de Basílio Quaresma Torreão, aprovou a criação da Freguesia de Santa Rita.

O primeiro administrador paroquial foi o padre João Soares da Veiga Albuquerque e Almeida, que ficou em Santa Cruz entre os anos 1836 até 1840. Durante os anos de 1849 e 1858, a sede da Paróquia foi transferida para a Serra do Pires, na paróquia em Serra de São Bento. Isso ocorreu após uma carta enviada pelo Padre Camilo de Mendonça Furtado comunicando que Santa Cruz tinha uma capela insuficiente para os trabalhos paroquiais.

Ao retornar para ser sede da Paróquia, Santa Cruz precisou reformar sua pequena capela, construída nos primeiros anos de povoação, para se tornar uma capela de estilo não definido, com algumas características do barroco. A primeira capela é considera como o principal marco da fundação da cidade, por volta dos anos 1820.

CRIAÇÃO DA PARÓQUIA

Para ser criada a Paróquia, um grupo de cidadãos influentes fizeram um abaixo-assinado com 86 assinaturas, o que configuram como os primeiros habitantes dessa localidade, e em uma estimativa seriam mais de 600 pessoas morando na região do povoamento, em 1835.

NOVO TEMPLO

O Padre Emerson Negreiros foi responsável pela demolição da pequena e centenária capela, que viu o povoado se tornar uma das mais importantes cidades do Rio Grande do Norte, ainda nos anos de 1950. O processo de demolição da Capela Secular, que tinha categoria de Igreja Matriz, começou inicialmente com a escavação das fundações do novo templo ao redor do antigo. A antiga Matriz era bem pequena comparada a nova obra, dessa forma o processo de construção foi lento e em várias fases.

Quando as paredes e colunas da nova Matriz estavam de pé foi iniciado um processo de demolição das torres, consistório e outras partes anexas da antiga construção. Quando a nave central estava coberta restou apenas o antigo altar-mor, de estilo barroco, que anos depois foi também demolido.

Emerson inicia a construção-demolição em 1954, por volta de 1958 faz a demolição de outras partes da antiga capela, mas não chega a comandar o final da obra, antes de ir para Niterói é deslocado para Natal. Toma posse na Paróquia de Santa Rita o Padre Raimundo Barbosa Gomes, em 14 de fevereiro de 1965. Para ele restou a colocação de todas as portas, piso, altar de mármore e concluir a torre da Igreja.

Para a readequação que o Monsenhor Raimundo executou, só em 5 de abril de 1982 que o relógio de quatro fases foi concluído, no alto da torre. Para Raimundo estava concluída, mas quem sabe quais outras ideias Monsenhor Emerson teria sugerido para incrementar a obra?

Alguns relatos nos trazem a informação que a nova Matriz teria uma ou até duas cúpulas para o projeto original. Essa ideia será concluída em 2019, quando o Padre Vicente Fernandes da Silva Neto, atual pároco de Santa Rita, deverá erguer uma cúpula para o alto da torre de 40 metros, após uma reforma inovadora das fachadas do templo.
Durante as festividades da padroeira, ao receber bispos de outras dioceses do Nordeste, a Igreja Matriz foi chamada de “Catedral de Santa Rita”, pela grandiosidade do templo, além da beleza e requinte no acabamento das reformas internas e externas. Um patrimônio inestimável para as futuras gerações.

DESAPEGO COM NOSSA HISTÓRIA

É comum observar que a cultura do santa-cruzense seja um desapego com sua história e identidade. A cidade praticamente não possui edificações que atravessaram os quase dois séculos desde sua fundação. O acervo arquitetônico foi sendo demolido ao longo da segunda metade do século XX, e um processo ainda mais acentuado no final dos anos 1990.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X